5 Tendências de RH para enfrentar os desafios de 2018

A gestão e o desenvolvimento do capital humano são fundamentais para o sucesso de uma empresa

Passando por um período de muita instabilidade política, o Brasil tenta retomar seu crescimento, mas os números ainda se mostram tímidos. Como você já deve estar ciente, 2018 é ano eleitoral e as disputas políticas entre governo e oposição devem ser determinantes para a oscilação dos números da economia, ora positivos ora negativos.

Este cenário exige disposição e preparo por parte dos gestores e, especialmente, dos profissionais de Recursos Humanos, pois será preciso ir muito além dos critérios técnicos para preencher adequadamente uma vaga. Portanto, destacamos 5 tendências de RH para 2018:

1. Candidatos passivos:

A captação de candidatos passivos não é uma novidade n processo de recrutamento. Entretanto, atualmente, vai muito além de simplesmente pesquisar currículos em um site de carreira. As redes sociais tornaram ainda mais fácil o contato com os candidatos. Da mesma forma, a identificação de talentos pode acontecer através da pesquisa em hashtags, fóruns ou outros métodos de comunicação on-line.

Ao envolver esse tipo de candidato – seja em grupos ou individualmente, dependendo da plataforma – os recrutadores podem ter uma boa ideia do que esses profissionais estão  procurando e se eles estariam dispostos a mudar suas carreiras.

2. Força de trabalho remota:

Esta é uma tendência em crescimento nos Estados Unidos: o profissional pode trabalhar  em casa ou em qualquer outro lugar com acesso à internet. Isso torna possível recrutar quase que em qualquer lugar do país ou até mesmo do mundo. Não surpreende que muitas startups sejam construídas com equipes remotas.

Do ponto de vista corporativo, oferecer recursos de trabalho remoto, ou home office, é uma maneira de reter funcionários atuais e aumentar a satisfação no trabalho, através de um melhor equilíbrio entre vida profissional e pessoal. Com as ferramentas de videoconferência e colaboração evoluindo a cada ano, essa tendência deve crescer ainda mais.

3. Contratação cega:

A indústria de tecnologia e o Silicon Valley, em particular, foram atingidos em 2017 por acusações de parcialidade nos processos seletivos. A maneira mais fácil de evitar qualquer controvérsia é a contratação por meio de um processo cego.

Na seleção e entrevista padrão, inclui dados demográficos dos candidatos, como: gênero, idade, etnia, etc. No processo cego, estas informações são retiradas e a primeira triagem pode ser feita com base em habilidades e conquistas. Já há softwares de recrutamento construídos para automatizar a triagem e tornar anônimos os currículos dos candidatos. Isso permite uma força de trabalho mais diversificada e baseada no mérito.

4. Gamification:

Gamification é uma estratégia de interação que utiliza alguns conceitos de game design no contexto corporativo. A ideia é incentivar o engajamento de maneira lúdica, em um esquema de atividades e recompensas, que pode apresentar uma variedade de propósitos, dependendo da empresa.

Em Recursos Humanos, a gamificação pode ser usada, por exemplo, no processo seletivo,  transformando testes de habilidades críticas e habilidades cognitivas em compromissos divertidos. O resultado beneficia tanto os candidatos como os empregadores: os candidatos têm uma razão divertida para tentar aumentar suas pontuações enquanto se mostram com potenciais empregadores; os gerentes de contratação têm diversos dados que podem ajudar a prever os pontos fortes e fracos dos candidatos.

5. Colaboradores para o futuro:

Com os avanços tecnológicos, muitos cargos vão desaparecendo ao longo do tempo. Dessa forma, cabe às empresas examinar seus recursos humanos e determinar a melhor forma de articulá-los em futuras posições. Isso significa identificar os funcionários que estão dispostos a abraçar diferentes aspectos dos empregos: gerenciamento, resolução de problemas, solução de problemas e outras áreas que exigem um elemento humano. Ao planejar com antecedência, isso economizará o dinheiro da empresa à medida que a automatização de alguns processos forem se tornando necessária a empresa.

Os desafios para os profissionais de recursos humanos continuam exigindo cada vez mais aprimoramento em suas competências, atualização com as necessidades do mundo corporativo, além de contínuo desenvolvimento de habilidades e ampliação de visão estratégica para negócios.

 

Responder