Banco do Brasil abre seleção para programa de Jovem Aprendiz

Jovem Aprendiz: Banco do Brasil

Jovem Aprendiz: Banco do Brasil abre seleção para programa de aprendizagem

O Banco do Brasil disponibiliza dois programas de Jovem Aprendiz. A iniciativa visa preparar estudantes para o mercado de trabalho, por meio de seu desenvolvimento pessoal, profissional e social. Podem participar adolescentes e jovens pertencentes à famílias de baixa renda. Oportunidades abrangem diversos locais do país.

Jovem Aprendiz: conheça os programas do Banco do Brasil

Os programas em aberto no Banco do Brasil são o Aprendiz BB e Jovem Aprendiz. Ambos os programas estão em consonância com os requisitos da Lei de Aprendizagem (Lei nº10.097/00), do Decreto 5.598/05 e do Estatuto da Criança e do Adolescente, entre outros dispositivos legais.

A empresa possui cerca de quatro mil aprendizes, todos estudantes da rede pública ou bolsistas da rede particular de ensino, os quais são selecionados e contratados por meio de Entidades Sem Fins Lucrativos conveniadas ao Banco. O bom aproveitamento escolar é fator determinante na escolha, como forma de incentivar o comprometimento dos candidatos com seus estudos.

Mais do que capacitar e orientar os aprendizes para o exercício das atividades profissionais, os programas estão estruturados com o objetivo de contribuir com a formação cidadã dos adolescentes e jovens, baseando-se em princípios éticos e solidários. 

Programas de aprendizado Banco do Brasil: requisitos básicos para participar

Confira a seguir a relação de pré-requisitos para ser participante dos programas da empresa:

Programa Aprendiz BB

a) idade entre 15 anos e 16 anos incompletos

b) renda familiar de até meio salário mínimo nacional, per capita

c) recrutados na rede de escolas públicas ou em escolas particulares, desde que bolsitas, com bom aproveitamento e frequência regular na escola

d) cursando, no mínimo, a sétima série ou o oitavo ano do ensino fundamental, quando da sistemática de nove anos instituída pela Lei 11.274/2006

Programa Jovem Aprendiz

a) idade entre 18 anos e 22 anos incompletos

b) renda familiar de até um salário mínimo nacional, per capita

c) matriculados na rede de escolas públicas ou em escolas particulares, desde que bolsistas, com bom aproveitamento e frequência regular na escola, caso não concluído o ensino médio

d) cursando, no mínimo, a primeira série do ensino médio, caso não concluído o ensino médio. Se tiver concluído o ensino médio, não pode estar cursando ou ter concluído o nível superior

Benefícios que o banco oferece aos participantes do Jovem Aprendiz 

Veja abaixo a lista de benefícios que o Banco do Brasil disponibiliza aos seus jovens aprendizes:

Programa Aprendiz BB

  • Remuneração de 1 salário mínimo nacional
  • Auxílio alimentação de R$ 200,00
  • Vale transporte
  • Plano de saúde

Programa Jovem Aprendiz

  • Remuneração de 1,5 salário mínimo nacional
  • Auxílio alimentação de R$ 200,00
  • Vale transporte
  • Plano de saúde

Jovem Aprendiz: jornada de trabalho e capacitação

A jornada de trabalho é de 4 horas diárias para o adolescente e de 6 horas diárias para o jovem, em horário compatível com o escolar, com direito a 15 minutos de descanso. 

Durante o período do contrato, os aprendizes recebem capacitação teórica e prática, sendo que quatro dias úteis da semana são destinados à aprendizagem prática no banco e um dia útil à aprendizagem teórica na entidade assistencial. A carga horária de aprendizagem varia de acordo com a modalidade do programa.

Confira oportunidades de estágio no RioVagas!

Programa Aprendiz BB

São 552 horas (30%) de aprendizagem teórica na entidade assistencial e 1.288 horas (70%) de aprendizagem prática no banco, totalizando 1.840 horas de carga horária.

Programa Jovem Aprendiz

São 828 horas (30%) de aprendizagem teórica compartilhada entre a entidade assistencial e o banco, e 1.932 horas (70%) de aprendizagem prática no banco, totalizando 2.760 horas de carga horária.

Admissão e vínculo empregatício nos programas do Banco do Brasil

Os aprendizes são contratados na modalidade indireta por meio de Entidades sem Fins Lucrativos (ESFL), que passam por aprovação de órgãos responsáveis, pelo prazo de dois anos, sem possibilidade de renovação. 

A seleção de aprendizes é feita pelas entidades assistenciais sem a interferência do banco. O vínculo empregatício também se estabelece com as entidades e não com o Banco do Brasil.

O candidato a aprendiz deve se cadastrar junto a uma das ESFL parceiras do banco, que desenvolva ações sociais com adolescentes e jovens em sua cidade/ bairro/ comunidade. 

Para obter informações sobre as entidades conveniadas, o interessado deve procurar informar-se, na sua região ou município, junto às associações de classes, comunitárias e/ou direto em entidades filantrópicas que assistam jovens.

Fonte: Redação RioVagas (com informações do Banco do Brasil)

Acompanhe outros concursos públicos em Notícias!