Notícias: Trabalho autônomo no Brasil, prisão de ativistas, filme sobre Suzane Von Richthofen e outros destaques do dia

Todos os dias, os editores do RIOVAGAS selecionam notícias em destaque para manter você atualizado

Brasil é o 3° país com mais profissionais autônomos do mundo

 Brasil/ Economia – Dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) apontam que 32,9% da força de trabalho brasileira atua de forma autonoma. O país fica atrás da Colômbia (51,3%) e Grécia (34,1%). A Organização Internacional do Trabalho (OIT) considera que, em economias menos desenvolvidas, o trabalho autônomo é uma alternativa ao desemprego ou um complemento à renda. Em economias mais desenvolvidas, esse modelo de ocupação está mais ligado ao empreendedorismo, flexibilidade de horários e maior qualidade de vida. Fonte

Justiça determina prisão de 23 ativistas

Brasil/ RJ – O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou a prisão em regime fechado de 23 ativistas ligados a atos violentos em protestos ocorridos entre 2013 e 2014 na cidade. A maioria dos ativistas recebeu a pena de 7 anos de prisão, por formação de quadrilha e corrupção de menores. Eles poderão responder em liberdade, até que seus recursos sejam julgados. Entre os condenados, estão Elisa Quadros Pinto Sanzi, conhecida como Sininho, Caio Silva de Souza e Fábio Raposo, os dois últimos são réus no caso do cinegrafista Santiago Andrade, da Band, morto ao ser atingindo por um rojão, durante um protesto em 2014. Fonte

Disque Denúncia oferece recompensa por informações sobre médico foragido

Brasil/ RJ – O Disque Denúncia está oferecendo R$ 1 mil reais por informações que levem as prisões de Denis César Barros Furtado, conhecido como “Dr.Bumbum”, e sua mãe, Maria de Fátima Barros Furtado. Os dois são investigado pela morte da bancária Lilian Calixto, que se submeteu a um procedimento estético, no apartamento do médico, na Barra da TijucaFonte

História de Suzane Von Richthofen vai virar filme

Brasil/ Cinema  – A história que envolve o julgamento de Suzane Von Richthofen e Daniel Cravinhos será retratada na produção “A Menina que Matou os Pais”, anunciada pela distribuidora Vitrine Filmes. Richthofen e Cravinhos foram condenados pelo assassinato de Manfred e Marísia von Richthofen, pais de Suzane, em outubro de 2002. As filmagens devem começar ainda este ano, e a estreia é prevista para 2019. Responsável pela produção, Mauricio Eça comentou que pretende mostrar o que motivou Richthofen a cometer o crime. Nesse momento, a produção está selecionando o elenco. Fonte

Hotel de Las Vegas processa vítimas de massacre  

Mundo/ EUA – Vítimas do massacre de Las Vegas estão sendo processadas pelo hotel de onde um atirador disparou contra a multidão que assistia a um show de música country, em outubro de 2017. A MGM Resorts, proprietária do hotel Mandalay Bay, alega que não pretende obter compensações financeiras de cerca de 2.500 sobreviventes e familiares de vítimas. O objetivo seria fazer com que essas pessoas desistam de ações movidas contra o hotel por negligência. Fonte

Meninos falam sobre fome e medo nos dias em que ficaram presos em caverna na Tailândia

Mundo/ Tailância – Os 12 meninos, que têm entre 11 e 16 anos, e o técnico do time “Javalis Selvagens” tiveram alta do hospital e fizeram sua primeira aparição pública. O grupo relatou a imprensa sobre o medo, a fome e a alegria ao serem resgatados por mergulhadores, após ficarem duas semanas presos na caverna Tham Luang, na Tailândia. Eles também fizeram uma homenagem ao mergulhador Saman Kunan, que morreu durante os esforços de resgate. Fonte

Vacinação cresce no mundo, mas diminui no Brasil

Saúde/ Brasil – De acordo com números divulgados pela Unicef e pela Organização Mundial da Saúde, o mundo registrou no ano passado um recorde de crianças vacinadas, cerca de 123 milhões. Porém, no Brasil, houve queda. Em 2014, por exemplo, a cobertura da vacina tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola) chegou a quase 100% das crianças; em 2016, esse número caiu para 85%. Considera-se que a população está protegida quando a cobertura atinge a pelo menos 95%, abaixo disso, há risco de retorno das doenças. Fonte

Receba vagas e notícias diariamente em seu email