7 das 10 profissões que mais perderam postos de trabalho são da construção

Setor da construção tem fechado diversos postos de trabalho

Estudo mostra que crise do desemprego está forte no setor da construção civil e não poupou nem as pessoas mais qualificadas, como engenheiros.

Profissões ligadas à agropecuária e indústria têxtil foram as que tiveram maior perda de fôlego entre junho de 2017 e junho de 2018, após esboçarem reação nos 12 meses imediatamente anteriores. Entretanto, entre as dez profissões que mais eliminaram postos de trabalho, sete estão relacionadas à construção civil.

Os dados são de levantamento feito pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), com base nas informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho.

Entre os dez piores desempenhos, a profissão que proporcionalmente fechou mais vagas dentro da construção foi a de supervisores de construção civil, com demissão de 8.566 trabalhadores e queda de 8,7% no pessoal ocupado com carteira nessa posição, após já ter dispensado 17.282 pessoas nos 12 meses anteriores.

O total de trabalhadores formais atuando com montagem de estruturas de madeira, metal e compósitos em obras civis encolheu 5,2% nos 12 meses terminados em junho, 5.996 vagas a menos. A terceira maior queda no pessoal ocupado, de 4,9%, ocorreu no segmento de estruturas de alvenaria, com 17.496 trabalhadores dispensados nos últimos 12 meses.

Os profissionais graduados também não foram poupados pela crise. Foram eliminadas 2.110 vagas formais de engenheiros civis no País nos 12 meses encerrados em junho, uma queda de 3,2% no total ocupado nessa profissão em relação aos 12 meses anteriores, terminados em junho de 2017, quando outras 6.189 vagas já tinham sido extintas. Em dois anos, mais de oito mil engenheiros civis perderam o emprego com carteira assinada.”A construção é de fato o destaque negativo na extinção de vagas. Começamos a ter alguns sinais incipientes de melhora no mercado de trabalho no fim do ano passado, mas as revisões para baixo na expectativa de geração de vagas passa pela decepção com a construção civil.

Vagas de emprego no setor de construção civil