Vale a pena investir em uma segunda graduação?

Descubra se é uma boa ideia investir em uma segunda graduação

No ensino médio, em geral, o foco do estudante é sempre no vestibular. Qual faculdade fazer? Qual curso escolher? Costuma-se também já traçar todo um plano de carreira: estágio, conclusão da graduação, efetivação em um emprego ou uma oportunidade como trainee e assim por diante.

Entretanto, existem muitos motivos para um profissional não seguir esse caminho, como insatisfação com o curso ou com o mercado de trabalho. Separamos algumas dicas para quem está pensando em cursar uma segunda graduação.

Segunda graduação: quando vale a pena?

Existem algumas situações que justificam a realização de um segundo curso universitário.

Não se identificou com o curso

Escolher uma profissão com 17, 18 anos pode ser algo complicado. Nossos interesses podem mudar ou o curso pode não corresponder às expectativas que criamos.

Se nada do seu curso atual lhe instiga, desperta curiosidade ou demonstra que esse é um caminho pelo qual você gostaria de seguir, é preciso ter atenção. Nesse caso, fazer uma segunda graduação é interessante. Só tenha cuidado para não confundir desagrado com algumas disciplinas do curso ou com metodologia dos professores com desinteresse por toda a grade.

Se você ainda está se graduando, pode puxar algumas matérias de outros cursos que chamem sua atenção para testar com quais áreas você mais se identifica. Se você já concluiu o curso, pode pedir para assistir a aulas apenas como ouvinte. Outra dica é ir a palestras e eventos ligados à área que tem despertado seu interesse.

Não se adaptou as rotinas da profissão

Quando o curso de graduação se encerra, o seu foco muda para a inserção no mercado de trabalho. Reflita sobre suas experiências profissionais na área (incluindo estágios): como você se sente no trabalho? Conseguiria se imaginar desempenhando essa atividade a longo prazo? E se fosse em alguma área próxima? Se não se sentia bem, o motivo era a atividade que você realizava ou o ambiente de trabalho?

Essas perguntas são importantes para identificar se a mudança é realmente necessária, se o problema não é falta de afinidade com a empresa na qual você está trabalhando e se não existe a possibilidade de mudar de profissão sem a necessidade de uma outra graduação. Caso a sua conclusão seja de que as possibilidades atuais não se alinham em nada com o que você quer para o futuro, uma segunda graduação será útil.

Quando não vale a pena?

Em outras situações, investir tempo e energia com outra graduação não é o melhor caminho.

Você está com dificuldades temporárias de encontrar um emprego

Quando a situação econômica do Brasil não é das melhores, isso dificulta que as empresas efetivem estagiários e ou realizem novas contratações. Enviar currículos e passar por diversos processos seletivos, sem sucesso, pode desmotivar. Com isso, você pode achar que uma mudança de área será a solução definitiva.

Entretanto, é preciso refletir que cada área tem as suas dificuldades. E graduação nenhuma vai lhe garantir uma vaga no mercado de trabalho. Sendo assim, se você gosta da sua área de atuação, o melhor a fazer é buscar cursos e especializações que enriqueçam seu currículo. Você pode mudar de profissão sem necessariamente mudar de área. Por exemplo, uma pessoa formada em Letras pode atuar dando aulas ou revisando textos.

Você quer complementar conhecimentos na sua área

Caso o seu interesse em uma segunda graduação seja complementar ou aprofundar os conhecimentos que você tem, existem outras alternativas mais práticas. Confira algumas:

Pós-graduação

Essa opção é muito indicada para quem busca avanços na carreira ou linhas complementares de formação. Além disso, a pós-graduação tem um período de duração normalmente menor que os cursos de graduação.

A pós-graduação também é interessante para quem tem interesse em carreiras acadêmicas. Para quem pretende dar aulas em universidades e fazer pesquisas, os cursos de mestrado e doutorado são requisitos obrigatórios.

Cursos isolados de especialização 

Existe também a possibilidade de fazer cursos isolados, de curta duração; especializações que trarão um conhecimento bastante específico sobre determinado assunto, caso seja algo necessário para um determinado projeto ou uma habilidade que você tem interesse em desenvolver.

Dessa forma, antes de decidir se vai atrás de uma segunda graduação, é importante refletir sobre suas motivações e quais alternativas você tem.

Gostou das dicas? Compartilhe!

Procurando oportunidades? Acesse o RIOVAGAS