Freelancers: como aumentar a chance de conseguir novos clientes

É comum que freelancers recebam propostas para trabalhar de graça, em troca de divulgação, por exemplo. Vale a pena aceitar?

É uma questão que grande parte dos profissionais freelancer, sejam designers, redatores, fotógrafos, etc, já se fizeram em algum momento de sua carreira:devo trabalhar de graça?

“Trabalhar por divulgação” é uma questão que divide os profissionais. Alguns enxergam esse tipo de proposta como um insulto e também um desperdício de tempo, mas outros acreditam que, dependendo do cliente, pode valer a pena. Se você está com essa dúvida, deve se fazer algumas perguntas.

Quais são seus objetivos?

Trabalhar de graça não é um plano de negócios que você desejará manter por muito tempo. Tendo isso em mente, qualquer trabalho que você realizar deve estar a serviço de uma meta maior.

Se você está apenas começando como freelancer ou mesmo se estabelecendo dentro de um novo nicho, trabalhos não-remunerados para marcas e clientes conhecidos podem realmente ajudar seu portfólio.

Lembra que dissemos que tudo que você fizer deve levar a um objetivo maior? Dessa forma, há algumas condições que o trabalho não-remunerado deve oferecer para, assim, valer a pena para você:

  • Levar a um cargo remunerado dentro da mesma empresa;
  • Levar a um trabalho comprovado em outros lugares (ou seja, outros freelancers obtiveram  sucesso começando com a marca);
  • Este trabalho fará com que seu nome ganhe notoriedade.

Se a oportunidade não puder ser avaliada dentro de nenhum desses parâmetros, é hora de mudar seu foco para outra coisa.

Existem outras opções?

Acredite, se você souber procurar, há oportunidades pagas. O mercado freelance on-line pode ser a solução. Então, antes de dizer sim a um trabalho não pago, reserve algum tempo para mapear suas opções seguindo estas etapas:

Use a internet

A visibilidade é a melhor maneira de se conectar com empresas e novos clientes. Há diversos sites de empregos, voltados para freelancers ou não, em que vale a pena cadastrar currículo e fazer buscas por oportunidades.

Também é aconselhável entrar no LinkedIn para começar a se conectar com colegas do passado, como pessoas com quem você estudou e até professores universitários, que podem contratá-lo para um trabalho ou sugerir seus serviços a amigos.

Pense local

Criar uma base de clientes local pode ser valioso e vale a pena considerar o potencial de sua comunidade. Digamos que você se especialize em conteúdo da web de SEO e esteja procurando novos clientes. Faça uma lista das empresas em sua localidade, de lavanderias a cafeterias e empresas de contabilidade, e dê uma olhada em seus sites. Se eles pudessem se beneficiar de seus serviços, contate-os com um plano detalhado.

Embora não haja garantias, esse tipo de troca provavelmente ajudará a aumentar a confiança e você poderá se estabelecer como um recurso local para outras empresas. Mesmo que sejam empresas pequenas e não tenham um peso tão grande, ainda assim você estará adicionando trabalhos a seu portfólio e será pago por eles.

Ouça seus colegas

Para quem não tem experiência, é aconselhável participar de grupos de freelancers em fóruns, Facebook ou LinkedIn, para se conectar com seus colegas de profissão. Se você não se importa com uma abordagem mais direta, pode entrar em contato com profissionais que você admira para obter conselhos individuais. Peça-lhes para orientá-lo em suas escolhas profissionais e os passos que tomaram para se tornarem bem-sucedidos. Você pode até mesmo pedir opiniões sobre propostas de trabalho não-remunerado.

Você está se desvalorizando?

É comum que freelancers, principalmente os novatos, tenham dificuldade em estabelecer preços para seus serviços e, não raramente, acabam cobrando menos do que deveriam. Mais uma vez, vale a dica de conversar com colegas para se livrar da insegurança e chegar a um valor justo, pois desvalorizar-se frequentemente significa sacrificar o potencial de ganhos ao longo de sua carreira.

Não há respostas simples para a questão “devo trabalhar de graça?“. Porém, uma coisa é certa: divulgação não paga as contas. Sendo assim, aborde propostas de trabalhos não remunerados com ceticismo, avalie bem e busque alternativas pagas ao longo do caminho.

Responder