6 erros que você não pode cometer ao mudar de carreira

mudança de carreira

 

Com o objetivo de buscar satisfação profissional ou para conquistar um salário melhor, muitas pessoas decidem que a solução é mudar de carreira. Mas, esse caminho não é nada fácil, por isso, destacamos 6 erros comuns que você deve evitar, para que o período de transição entre uma carreira e outra seja bem mais tranquilo.

 

Mudança de carreira: o que você não deve fazer

Confira a seguir 6 dicas do que você deve evitar quando for mudar de carreira:

 

1.Não se planejar

Construir uma carreira não é um desafio fácil. Passamos por isso, normalmente, no início da vida adulta e sabemos que enfrentamos um processo de preparação árduo para encarar o mercado de trabalho. Quando mudamos de carreira, o processo é semelhante, embora você também carregue uma bagagem de experiências que ajudarão.

Primeiramente, é fundamental se conhecer bem e entender os motivos da mudança e os novos rumos que você pretende seguir. Isso irá guiar todo o planejamento durante a transição. Depois disso, é necessário criar um plano de ação que partirá da seguinte pergunta: para ter essa nova profissão, o que lhe falta?

Pesquise e entenda as competências que o mercado exige e as desenvolva, sejam elas habilidades técnicas, comportamentais ou, até mesmo, vivências. Invista em qualificação com foco na nova área e aumente sua bagagem de conhecimentos para dominar o assunto. Após estar tecnicamente capacitado, você poderá partir em busca de uma nova oportunidade.

 

2. Mudar de carreira precipitadamente

Como o processo de transição de carreira exige todo um planejamento e desenvolvimento de novas habilidades, levará algum tempo para acontecer. Principalmente se for preciso realizar um curso de qualificação ou faculdade. Em outras palavras, para concretizar a mudança com segurança, o ideal é que você continue em sua área de atuação enquanto se adapta para a nova. Assim, você evita dificuldades financeiros e poderá selecionar a melhor oportunidade quando tudo estiver pronto. Portanto, tenha paciência.

 

3. Mudar de carreira porque está insatisfeito com o emprego atual

Como dissemos no primeiro tópico, é importante se conhecer e refletir sobre porque você quer mudar de carreira. Um erro comum é confundir a insatisfação com o emprego atual com necessidade de buscar outra profissão. Nem sempre sentir-se desmotivado ou infeliz com seu trabalho significa que você escolheu a carreira errada.

Às vezes, o problema está ambiente de trabalho ou nas atividades que você exerce. Por exemplo, um professor pode se sentir insatisfeito dando aulas no ensino médio, mas, recuperar a motivação ao passar a lecionar em uma universidade. Ou seja, ele não mudou de carreira, só de local de trabalho.

 

4. Mudar de carreira unicamente por dinheiro

Claro que a compensação financeira também é um fator importante, afinal, ninguém paga as contas com o amor que tem pela profissão. No entanto, guiar-se apenas pela quantidade de vagas e salário que esse segmento oferece, também é um erro. Isso porque, se você não tem real afinidade com a nova carreira,  enfrentará maiores dificuldades de adaptação às novas atividades e, em consequência, acabará não entregando os melhores resultados, o que pode desencadear novas insatisfações, como falta de identificação com a profissão, estresse e desmotivação.

 

5. Mudar de carreira por influência de outros

Como já deve ter ficado claro, o processo de mudança de carreira precisa ser motivado por  autoconhecimento, ou seja, você chegar a conclusão que, por uma série de fatores, quer seguir outro caminho. Isso significa que outras pessoas não podem influenciar as decisões que apenas você é capaz de tomar e que afetam principalmente a sua rotina. Se você passar por um situação em que se sente pressionado a mudar de profissão para satisfazer os planos de outra pessoa, pense bem e considere sempre a sua satisfação profissional.

 

6. Não reestruturar o currículo

Não é porque você já tem um ótimo currículo para a sua área atual que não precisa elaborar um novo currículo. Lembre-se que um currículo bem feito precisa destacar as qualificações especificas para o cargo pretendido. Para que ele seja atrativo aos selecionadores, é preciso fazer mais do que alterar o cargo. Portanto, você deverá ressaltar suas competências, experiências e qualificações mais relvantes para seu novo objetivo profissional.

 

Gostou desse artigo? Então você pode gostar desse também 10 dicas para aumentar autoestima no trabalho e crescer na carreira