Você sabe lidar com a frustração do “NÃO” em um processo seletivo?

O “não” pode ser um motivador

A busca por recolocação profissional realmente exige muita dedicação e empenho, afinal, elaborar um bom currículo, ativar seus contatos profissionais e candidatar-se às vagas demanda tempo e energia. Mas, por empenharmos tantos esforços, não obter o resultado desejado, ou seja, não conseguir um emprego, pode causar frustração.

Como você lida com os “nãos” recebidos na vida profissional?

A frustração de não ter o currículo selecionado ou não ser aprovado após uma entrevista (ou após várias) é um sentimento comum. E é compreensível: a preocupação com as questões financeiras piora a situação e também os contantes “nãos” nos fazem questionar nossas próprias habilidades e capacidades como profissionais.

A frustração, portanto, pode acabar desencadeando problemas como estresse e desânimo, que prejudicam ainda mais as suas chances de se sair bem em uma entrevista ou dinâmica de grupo. No entanto, com uma mudança de postura, podemos passar a encarar o “não” como uma oportunidade de desenvolvimento pessoal e de amadurecimento da carreira.

Saiba como transformar o  “não” em motivação

Quando você não for aprovo em um processo seletivo, ponha em prática as dicas abaixo e  tire o melhor aprendizado possível da situação:

1.Não leve para o lado pessoal

O fato de você não ter sido selecionado para determinada vaga de emprego não significa que você seja incapaz de cumprir com os desafios da oportunidade. Cada processo seletivo tem seus critérios de avaliação, que vão desde habilidades técnicas a questões comportamentais e de personalidade. Além de ser capaz de fazer o trabalho proposto, o candidato selecionado deve também ter compatibilidade com os valores, cultura e características da empresa e da equipe em que será inserido. Ou seja, às vezes, você apenas não se adequaria bem àquele ambiente e acabaria por ter problemas de adaptação.

2. Analise o mercado

Todo processo seletivo pode ensinar algo a você. Aproveite para analisar melhor o mercado, as exigências das oportunidades, os modelos de dinâmicas de grupo e as perguntas que são feitas nas entrevistas. Quanto mais você conhecer sobre o funcionamento dos processos seletivos, mais bem preparado estará para as próximas tentativas.

3. Peça feedback e coloque em prática

Entender o que “deu errado” é fundamental para o processo de melhoria. Sempre que possível, peça para que o recrutador compartilhe com você as percepções que colocaram você em desvantagem. Ele irá pontuar suas falhas, se for o caso, e/ou esclarecer o motivo pelo qual você não se enquadra na oportunidade em questão. Ouça com atenção, pois isso permitirá que você trabalhe os pontos negativos e estruture respostas melhore.

Se não for possível receber um feedback, esforce-se para lembrar das reações do entrevistador e do que pode ter dado errado. Por exemplo, se você ficou ansioso, gaguejou e se atrapalhou com as respostas, é bom treinar e simular entrevistas para ter o discurso na ponta da língua.

4. Seja persistente

Prepare-se melhor para a próxima e não desista. Entenda que o “não” faz parte do processo de desenvolvimento da carreira. Por meio da recusa, entendemos que é necessário buscar melhorias.

Gostou das dicas? Compartilhe!

Procurando oportunidades? Acesse o RIOVAGAS